Por muitas décadas, os serviços de saúde deram atenção especial ao diagnóstico e ao tratamento de doenças, deixando a prevenção em segundo plano. Porém, nos últimos anos, tem-se observado uma preocupação maior com a adoção de métodos preventivos com o objetivo de evitar o aparecimento das doenças, porque sabe-se hoje, que prevenir é sempre mais fácil e eficaz do que esperar a doença se instalar para então tratá-la. É ao o que chama de promoção ou prevenção primaria da saúde. No caso da saúde da mulher, o Ministério da Saúde já tem estabelecido dois programas principais de prevenção: o do cäncer de mama e do cäncer de colo de útero. Porém, existem outros programas que beneficiam homens e mulheres, como a detecção precoce de hipertensão e diabetes.
A prevenção consiste em cuidados e realização de visitas médicas para exames periódicos. Quanto à orientação de cuidados, é interessante observar que os mesmos cuidados podem servir para a prevenção e/ou controle de diversas doenças. Por exemplo, exercícios físicos regulares (que são aqueles realizados durante 40 minutos seguidos, por no mínimo 3 vezes por semana) ajuda a evitar ou controlar osteoporose, diabetes e doenças cardiovasculares como infarto e hipertensão. Porém, o melhor é que estes exercícios sejam sempre feitos sob supervisão de um profissional habilitado para que eles realmente tragam benefícios a saúde, e não venham a prejudica-la por terem sido realizados de maneira errada ou inadequada para aquela pessoa. Outra orientação é a adoção de uma dieta controlada e balanceada. Por dieta não entenda-se regime, e sim, o uso de alimentos saudáveis. Por exemplo, evitar alimentos gordurosos e frituras, e abusar de frutas, legumes e verduras ajuda a prevenir doenças cardiovasculares e dislipidemias (alterações do colesterol e/ou triglicerídeos), além da osteoporose (verduras folhas verdes-escuras, como espinafre, couve e brócolis).
A consulta médica com especialista para a realização de exames físico, laboratorial e de imagem também deverá ser realizada com periodicidade mínima de 1 ano, sendo que em alguns casos pode ser necessário um freqüência menor. Os exames a serem solicitados dependerão da história médica de cada um e da propensão individual para desenvolver uma ou outra doença. Para as mulheres, entretanto, a realização de preventivo (citopatológico de colo uterino ou papanicolau) e de mama (exame físico, ultrassom ou mamografia, dependendo do caso) deverá ser feito anualmente. A solicitação de outros exames, como ultrassom pélvica ou densitometria óssea, dependerá da avaliação do médico especialista. Não deixe de realizar sua avaliação!
A prevenção é o melhor remédio e está em suas mãos! DRA PATRICIA PEREIRA DE OLIVEIRA. GINECOLOGISTA E OBSTETRA. MESTRE EM SAÚDE PÚBLICA PELO IFF-FIOCRUZ-RJ